O que é e como eliminar a oleosidade na água da piscina

pools-covidLO

O excesso de óleo na água da piscina é um dos problemas sazonais inevitáveis. Um clima um pouco mais quente é suficiente, e o espaço é usado com mais frequência e, mais cedo ou mais tarde, a oleosidade se acumula e começa a afetar negativamente a estrutura e o equilíbrio químico da água.

Mas, antes de mais nada, é importante ressaltar que esse fenômeno é completamente normal, principalmente em piscinas públicas, clubes e apartamentos, e pouco se pode fazer para detê-lo. No entanto, bons procedimentos de limpeza e manutenção não resolverão nenhum problema!

Como surge a oleosidade na água da piscina?

Sabe quando o sol bate na água e você percebe que há uma camada de óleo na piscina? Este já é o estado superlativo do problema que veio de se acumulando a vários dias.

A oleosidade da água da piscina vem primeiro do próprio suor e da oleosidade natural da pele do nadador. Especialmente no verão, quando as pessoas suam muito, algum suor inevitavelmente entra na água.

No entanto, em uma piscina bem conservada e quimicamente estável, o suor dos nadadores por si só não é suficiente para formar uma camada de óleo na água – pelo menos não por um período tão curto de tempo. É aí que alguns dos maiores vilões da água cristalina entram em cena.

Estamos falando de produtos de beleza usados ​​pelos banhistas, como protetores solares e hidratantes corporais, condicionadores e xampus, maquiagem e até protetores solares. Assim como o suor, todos esses produtos podem deixar rastros de oleosidade na água da piscina, principalmente quando aplicados antes do banho.

Em outras palavras: em tempos de uso intenso, com tantas pessoas constantemente entrando e saindo da água, era apenas uma questão de tempo até que todo o óleo pudesse ser visto. E é preciso ficar atento a isso, pois em casos mais avançados, essa gordura também pode grudar nas paredes e bordas da piscina e até prejudicar o funcionamento de filtros e eletrobombas.

Saiba como resolver o problema

Embora todo o problema possa parecer complicado, a verdade é que a água gordurosa da piscina é um problema fácil de resolver. Para começar, com uma boa manutenção de rotina e água limpa, a oleosidade nem aparece, pois o cloro é o responsável por quebrar essas partículas e evaporá-las.

Bem, mesmo nos casos mais extremos, um tratamento de emergência, elevando muito o índice de cloro livre, deixando a eletrobomba funcionando por algumas horas, e qualquer vestígio de óleo desaparecendo, seria suficiente.

Como mencionamos, o problema maior realmente é quando toda essa mistura de gordura corporal e maquiagem se acumula nas paredes e bordas da sua piscina. Portanto, a única solução é limpar manualmente com uma esponja e um limpador de bordas biodegradável.

Melhores formas de evitar o excesso de oleosidade na água da piscina

Se você não quer passar por todas as dores de cabeça – ou, neste caso, dor no braço – ter que escovar a beira da piscina toda semana, a boa notícia é que existem algumas coisas simples que você pode fazer para reduzi-la.

  • Utilizar protetores resistentes à água
  • Sempre tenha um chuveiro na área externa para uso antes de entrar na piscina. Portanto, os nadadores podem remover o excesso de óleo de seus corpos antes de mergulhar.
  • Recomenda-se esperar algum tempo entre a aplicação do protetor solar e a entrada na piscina para garantir que o produto seque no corpo. Cerca de 30 minutos devem ser suficientes.
  • Durante o verão, verifique e ajuste o equilíbrio químico da água (cloro, pH e alcalinidade) diariamente. Dessa forma, você pode garantir que o cloro faça sua limpeza.
  • Aplicar um bom Eliminador de Oleosidade

Lembre-se de verificar a qualidade da água

Depois de aplicada alguma das técnicas para a eliminação da oleosidade da piscina, é fundamental checar a qualidade da água. A dica deve ser seguida principalmente quando é feita a supercloração, já que o excesso de cloro pode causar danos à saúde.

Para que a piscina possa ser utilizada normalmente, é preciso que a água esteja dentro dos seguintes parâmetros:

  • Nível de cloro: entre 1 a 3 ppm
  • pH: entre 7,2 e 7,6
  • Alcalinidade: entre 80 e 120 ppm
 

Além do mais, como sempre explicamos aqui no blog Adão Piscinas, é fundamental ficar de olho nas bordas da piscina, as quais costumam reter parte da oleosidade, o que prejudica o tratamento da água.

A oleosidade nas bordas também contribui para manchar o material, principalmente quando a piscina for de fibra ou de vinil. A limpeza deve ser feita regularmente com produtos químicos específicos e materiais não abrasivos, como uma esponja suave.

Ou seja, pequenos cuidados no dia a dia fazem grande diferença e impedem a concentração de oleosidade na piscina, o que significa um banho de qualidade.

Espero que tenham gostado, para saber mais dicas e conhecer nossos melhores produtos continue acompanhando nosso blog e compartilhando nosso conteúdo. 

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
Mude

Mude

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Vendidos

X
× Como posso te ajudar?